Home Blog Pele

Alimentação para uma pele bonita e saudável

Postado em: 12 de novembro

Como os alimentos influenciam na aparência da pele Ter uma pele bonita e radiante não é fruto apenas de cosméticos e tratamentos estéticos. Uma alimentação saudável pode influenciar na aparência da pele e ajudar amenizar sinais de envelhecimento, manchas e acne. Conheça os alimentos que não po...

continue lendo
Fatias de laranja

Como os alimentos influenciam na aparência da pele

Ter uma pele bonita e radiante não é fruto apenas de cosméticos e tratamentos estéticos. Uma alimentação saudável pode influenciar na aparência da pele e ajudar amenizar sinais de envelhecimento, manchas e acne. Conheça os alimentos que não podem faltar na sua dieta para sua pele fica ainda mais saudável e bonita.

Pele saudável depois dos 50

O ressecamento da pele após os 50 anos é bastante comum, visto que a pele perde elementos importantes para a hidratação e boa aparência da pele, como o colágeno. Alimentos antioxidantes são essenciais para manter a saúde do corpo e da mente nessa idade. Frutas como morangos, mirtilos, framboesas e cerejas tem ação antioxidante e ajudam a combater e prevenir o envelhecimento precoce da pele.

Flacidez tem solução?

Alimentos com vitamina C podem ajudar a combater a flacidez da pele. Laranja, limão e tangerina são algumas frutas com vitamina C que podem auxiliar em casos de pele flácida.

Bronzeado saudável e bonito

Para aproveitar o verão com um bronzeado bonito e saudável, aposte em alimentos ricos em betacaroteno, como: cenoura, mamão e folhas verdes escuras. Esse composto auxilia na proteção dos raios UVA e UVB. A cenoura, além do betacaroteno, também tem quantidade significativa de vitamina A, que auxilia a minimizar possíveis manchas. Mas não pare por aí: um bronzeado saudável só é possível com a devida proteção solar durante a exposição ao sol, e também a hidratação adequada da pele.

Bronzeado saudável e bonito

Se consumido com moderação e com altos níveis de cacau, o chocolate pode ser benéfico para a pele, visto que contém doses altas de antioxidantes. Mas lembre-se de optar por concentrações de cacau acima de 60% e ir com calma na hora de comer.

Além de uma dieta saudável, é essencial que você consulte seu dermatologista com frequência para que a saúde da sua pele seja avaliada. Agende uma consulta conosco pelo telefone 99 9980 552, e trate a sua pele da forma como ela merece.

Home Blog Pele

Cuidados com a pele durante o emagrecimento

Postado em: 12 de novembro

Como manter a pele bonita após a perda de peso O processo de emagrecimento causa mudanças na pele, principalmente no quesito flacidez, principal consequência da perda de músculo. Além disso, a baixa concentração de colágeno e elastina também pode prejudicar a firmeza da pele. Por isso, enquanto...

continue lendo
Cuidado com a pele

Como manter a pele bonita após a perda de peso

O processo de emagrecimento causa mudanças na pele, principalmente no quesito flacidez, principal consequência da perda de músculo. Além disso, a baixa concentração de colágeno e elastina também pode prejudicar a firmeza da pele. Por isso, enquanto o corpo perde peso , a pele precisa de cuidados especiais para que permaneça firme e elástica.

Confira cinco dicas de cuidados com a pele durante um processo de emagrecimento:

Emagrecer é um processo

Emagrecer rapidamente pode gerar diversos problemas, como a excesso de pele, estrias e perda da capacidade elástica.

Dessa forma, é importante compreender que emagrecer é um processo que exige auxílio profissional e comprometimento. Na hora de elaborar sua rotina de exercícios, atente-se para a frequência de aeróbicos e exercícios de força.

Embora as atividades aeróbicas sejam excelentes para a queima de gordura, quando realizadas a longo prazo podem contribuir para a perda de massa muscular. Por isso, o ideal é que o profissional de sua confiança elabore uma rotina com exercícios aeróbicos e musculação.

Hidratação de fora para dentro

Uma pele hidratada é, consequentemente, mais elástica e firme. Por isso, beba água antes, durante e após os treinos. Esse hábito vai ajudar a prevenir que sua pele fique flácida após o emagrecimento.

Hidratação

Colágeno e emagrecimento

Alimentos como leites e derivados são ricos em colágeno e devem ter um espaço especial na dieta de quem está em processo de emagrecimento. Essa proteína proporciona, principalmente, firmeza para a pele. Após os 30 anos, a produção de colágeno no corpo humano começa a diminuir. Nesse caso, procure seu nutricionista de confiança e adeque sua dieta para sua idade e necessidade do seu corpo.

Vitaminas E, D e C

As vitaminas E e C são antioxidantes, e por isso, combatem radicais livres. Já a vitamina D ajuda no processo de formação das células que produzem colágeno. Invista em alimentos com concentrações significativas dessas vitaminas e consulte seu nutricionista regularmente para verificar os níveis dessas substâncias em seu corpo.

Home Blog Dicas

Como a menopausa afeta a saúde da pele, do cabelo e das unhas?

Postado em: 14 de outubro

Como a menopausa afeta a saúde da pele, do cabelo e das unhas? Veja as consequências das alterações hormonais no corpo da mulher Durante a menopausa , é comum que a pele se torne mais ressecada e sensível , também mais propensa ao aparecimento de rugas, manchas, e em alguns ca...

continue lendo

Como a menopausa afeta a saúde da pele, do cabelo e das unhas?

Veja as consequências das alterações hormonais no corpo da mulher

Durante a menopausa , é comum que a pele se torne mais ressecada e sensível , também mais propensa ao aparecimento de rugas, manchas, e em alguns casos até mesmo acne. Muitos dos sintomas da menopausa são consequência da interrupção da secreção hormonal dos ovários . Um dos aspectos mais visíveis e conhecidos dessa fase são as ondas de calor, principalmente na região superior do tronco. Entretanto, a pele, os cabelos e as unhas também sofrem com as mudanças hormonais acarretadas pela menopausa.

Na pele

Na pele

A menopausa acontece depois da última menstruação - geralmente entre os 45 e 50 anos. Nessa época, a pele já experimenta as consequências do envelhecimento natural da mulher. Entretanto, a menopausa pode deixar a pele ainda mais ressecada e sem viço, por causa da perda de colágeno, comum principalmente durante o climatério. Por isso, é possível perceber perda em elasticidade e tônus, ou seja, a pele se torna mais fina e até mesmo mais frágil, muitas vezes sensível, também. Quando a mulher teve acne durante a puberdade, o aumento da produção de androgênio pode acarretar o retorno desse quadro durante a menopausa.

Com o passar dos anos, a lubrificação do couro cabelo também diminui e é um processo natural. Porém, a aparência dos fios pode parecer ressecada e difícil de combater. Nesse caso, é ideal ter os produtos corretos para restaurar a hidratação de forma saudável e eficaz. Um hidratante muito espesso pode deixar um cabelo fino com aspecto pesado e oleoso, por exemplo. O auxílio de um profissional é ideal para medir os danos e proporcionar o tratamento correto. Outra consequência comum dessa fase é a diminuição na produção de melanina , o que traz os (muitas vezes temidos) cabelos brancos.

Nas unha

O estrogênio, hormônio que tem produção reduzida durante a menopausa , também é responsável por regular e reter a água no corpo. Com a sua baixa produção, algumas partes do corpo podem ficar desidratadas, como é o caso das unhas. Nessa fase, elas podem ficar fracas e quebradiças. Neste caso, é importante procurar uma alimentação equilibrada e manter as unhas hidratadas. A fraqueza nas unhas também pode ser um sintoma de deficiência de vitaminas como a B12. Por isso, é imprescindível procurar orientação médica.

Nas unhas

A menopausa é um período delicado na vida da mulher. Terapias hormonais podem amenizar os sintomas, mas devem ser feitas com acompanhamento médico. Qualquer medicação - até mesmo suplementação de vitaminas - deve ser feita com orientação médica. Conte com o Instituto Dermatológico de Curitiba para preparar seu corpo para esse período. Estamos com você.

Home Blog Cuidados

Tratamento estético invasivo requer profissional habilitado

Postado em: 14 de outubro

Consequências de tratamentos estéticos invasivos sem habilitação são graves Em 2019, a Sociedade Brasileira de Dermatologia emitiu um alerta: a frequência da realização de tratamentos estéticos invasivos por profissionais não habilitados tem aumentado. De acordo com a SBD, neste ...

continue lendo

Consequências de tratamentos estéticos invasivos sem habilitação são graves

Consequências de tratamentos estéticos invasivos sem habilitação são graves

Em 2019, a Sociedade Brasileira de Dermatologia emitiu um alerta: a frequência da realização de tratamentos estéticos invasivos por profissionais não habilitados tem aumentado.

De acordo com a SBD, neste cenário os riscos de erros irreversíveis também aumentam. Segundo a Dra. Lúcia Ribeiro, dermatologista do Instituto Dermatológico de Curitiba , há um número “cada vez maior de complicações acontecendo. Isso se deve, também, ao fato de cada vez mais pessoas estarem se submetendo a este tipo de tratamento”. De acordo com a Dra. Lúcia, outro motivo do agravamento das complicações é a difusão da prática de tratamentos estéticos para outras áreas. Muitas vezes, os profissionais não têm a devida habilitação, pois não são médicos.

Os tratamentos realizados nessas circunstâncias podem acarretar complicações graves. Para a Dra. Lúcia Ribeiro , o risco mais importante de todos, considerado uma urgência, é quando o produto ou o preenchedor é injetado dentro de um vaso daquela região. “Se você interrompe a circulação sanguínea, a consequência natural disso é a necrose ou morte do tecido que está depois daquele vaso. Muito parecido com o que acontece no infarto, e o coração morre naquele local. Essa complicação precisa ser tratada de forma muito urgente, e os protocolos prevêem internamento para esse tipo de paciente”, discorre a Dra.

O que fazer antes de um procedimento estético?

  1. Antes de qualquer procedimento estético , consulte um médico especialista. Todo e qualquer tratamento invasivo deve ser realizado por um médico habilitado.
  2. Tire todas as dúvidas e saiba quais são as possíveis complicações do tratamento.
  3. Pesquise sobre a clínica e o profissional escolhidos. Verifique se há a devida certificação. Você pode pesquisar pelo CRM do médico no site.

Não comprometa sua saúde. Procure por profissionais habilitados que possam acompanhar o seu tratamento e dar a você toda a segurança necessária.

Home Blog Pele

Cuidados com a pele na primavera

Postado em: 10 de setembro

A primavera é o momento ideal para recuperar a pele das consequências no inverno, das quais o ressecamento é a mais comum. Os banhos muito quentes, assim como as baixas temperaturas, podem ocasionar o surgimento de manchas esbranquiçadas na pele (eczemátides ou pitiríase alba). Neste caso,...

continue lendo
Cuidados com a pele na primavera

A primavera é o momento ideal para recuperar a pele das consequências no inverno, das quais o ressecamento é a mais comum. Os banhos muito quentes, assim como as baixas temperaturas, podem ocasionar o surgimento de manchas esbranquiçadas na pele (eczemátides ou pitiríase alba).

Neste caso, é importante procurar um dermatologista para diferenciar essas manchas de possíveis alergias ou micoses, e assim, dar início ao devido tratamento.

Além disso, algumas medidas básicas são importantes neste momento de recuperação, como:

1. Limpar a pele

As temperaturas começam a aumentar na primavera, proporcionado elevação na produção de suor e oleosidade. Por isso, é necessário higienizar a pele pelo menos duas vezes ao dia. Embora pareça simples, a limpeza precisa de cuidado e atenção.

O ideal é que seja feita com água morna, por isso, evite lavar a face no banho quente ou frio. É necessário utilizar um sabonete apropriado para seu tipo de pele, que pode ser indicado pelo seu médico dermatologista. Parte da limpeza da pele pode ser auxiliada por tônicos, adstringentes e demaquilantes, porém todos esses produtos devem ser indicados por um profissional que conheça as necessidades de sua pele.

2. Hidratação

Parte importante da hidratação é feita de dentro para fora. Para recuperar sua pele do ressecamento ocasionado pelo inverno, comece bebendo água. Depois, é necessário utilizar o hidratante indicado para seu tipo pele. Lembre-se que todas as peles necessitam de hidratação, inclusive as oleosas e mistas.

Oleosidade e hidratação são propriedades diferentes. Em casos de peles oleosas que são demasiadamente lavadas para retirar o excesso de oleosidade, é comum que o paciente tenha um efeito rebote: sem óleos na face, as glândulas passam a produzir ainda mais.

3. Proteção solar

A terra é atingida pela radiação solar com a mesma intensidade em estações frias e quentes. Por isso, mesmo que ainda não seja verão, lembre-se de proteger sua pele dos raios solares. Lembre-se que janelas e nuvens são atravessadas pela radiação, ou seja: dias nublados e períodos dentro de casa também requerem proteção. Na dúvida sobre o melhor tipo de protetor solar para a sua pele, procure seu dermatologista.

Cuidados com a pele na primavera

Depois de recuperar a sua pele, é hora de tomar as medidas necessárias para ter um verão saudável e protegido. As altas temperaturas também podem prejudicar a saúde da sua pele. Antes de enfrentar o verão, consulte seu dermatologista sobre as medidas indicadas para seu tipo de pele. O uso de antioxidantes, por exemplo, pode prevenir o envelhecimento causado pela radiação ultravioleta.

Por isso, antes de aproveitar o sol, agende uma consulta e procure orientação junto ao seu médico de confiança. Lembre-se que nós podemos ajudar você aqui no IDC. É só mandar um WhatsApp para: (41) 99998-0552.