Procedimentos de Cirurgia Plástica

Conheça todos os procedimentos

O IDC oferece cirurgia plástica estética ou reconstrutora com conhecimento especializado e usando uma criteriosa metodologia que visa garantir equilíbrio, harmonia e beleza para a satisfação e segurança do paciente.

Home Blog Dicas

Como a menopausa afeta a saúde da pele, do cabelo e das unhas?

Postado em: 14 de outubro

Como a menopausa afeta a saúde da pele, do cabelo e das unhas? Veja as consequências das alterações hormonais no corpo da mulher Durante a menopausa , é comum que a pele se torne mais ressecada e sensível , também mais propensa ao aparecimento de rugas, manchas, e em alguns ca...

continue lendo

Como a menopausa afeta a saúde da pele, do cabelo e das unhas?

Veja as consequências das alterações hormonais no corpo da mulher

Durante a menopausa , é comum que a pele se torne mais ressecada e sensível , também mais propensa ao aparecimento de rugas, manchas, e em alguns casos até mesmo acne. Muitos dos sintomas da menopausa são consequência da interrupção da secreção hormonal dos ovários . Um dos aspectos mais visíveis e conhecidos dessa fase são as ondas de calor, principalmente na região superior do tronco. Entretanto, a pele, os cabelos e as unhas também sofrem com as mudanças hormonais acarretadas pela menopausa.

Na pele

Na pele

A menopausa acontece depois da última menstruação - geralmente entre os 45 e 50 anos. Nessa época, a pele já experimenta as consequências do envelhecimento natural da mulher. Entretanto, a menopausa pode deixar a pele ainda mais ressecada e sem viço, por causa da perda de colágeno, comum principalmente durante o climatério. Por isso, é possível perceber perda em elasticidade e tônus, ou seja, a pele se torna mais fina e até mesmo mais frágil, muitas vezes sensível, também. Quando a mulher teve acne durante a puberdade, o aumento da produção de androgênio pode acarretar o retorno desse quadro durante a menopausa.

Com o passar dos anos, a lubrificação do couro cabelo também diminui e é um processo natural. Porém, a aparência dos fios pode parecer ressecada e difícil de combater. Nesse caso, é ideal ter os produtos corretos para restaurar a hidratação de forma saudável e eficaz. Um hidratante muito espesso pode deixar um cabelo fino com aspecto pesado e oleoso, por exemplo. O auxílio de um profissional é ideal para medir os danos e proporcionar o tratamento correto. Outra consequência comum dessa fase é a diminuição na produção de melanina , o que traz os (muitas vezes temidos) cabelos brancos.

Nas unha

O estrogênio, hormônio que tem produção reduzida durante a menopausa , também é responsável por regular e reter a água no corpo. Com a sua baixa produção, algumas partes do corpo podem ficar desidratadas, como é o caso das unhas. Nessa fase, elas podem ficar fracas e quebradiças. Neste caso, é importante procurar uma alimentação equilibrada e manter as unhas hidratadas. A fraqueza nas unhas também pode ser um sintoma de deficiência de vitaminas como a B12. Por isso, é imprescindível procurar orientação médica.

Nas unhas

A menopausa é um período delicado na vida da mulher. Terapias hormonais podem amenizar os sintomas, mas devem ser feitas com acompanhamento médico. Qualquer medicação - até mesmo suplementação de vitaminas - deve ser feita com orientação médica. Conte com o Instituto Dermatológico de Curitiba para preparar seu corpo para esse período. Estamos com você.

Home Blog Cuidados

Tratamento estético invasivo requer profissional habilitado

Postado em: 14 de outubro

Consequências de tratamentos estéticos invasivos sem habilitação são graves Em 2019, a Sociedade Brasileira de Dermatologia emitiu um alerta: a frequência da realização de tratamentos estéticos invasivos por profissionais não habilitados tem aumentado. De acordo com a SBD, neste ...

continue lendo

Consequências de tratamentos estéticos invasivos sem habilitação são graves

Consequências de tratamentos estéticos invasivos sem habilitação são graves

Em 2019, a Sociedade Brasileira de Dermatologia emitiu um alerta: a frequência da realização de tratamentos estéticos invasivos por profissionais não habilitados tem aumentado.

De acordo com a SBD, neste cenário os riscos de erros irreversíveis também aumentam. Segundo a Dra. Lúcia Ribeiro, dermatologista do Instituto Dermatológico de Curitiba , há um número “cada vez maior de complicações acontecendo. Isso se deve, também, ao fato de cada vez mais pessoas estarem se submetendo a este tipo de tratamento”. De acordo com a Dra. Lúcia, outro motivo do agravamento das complicações é a difusão da prática de tratamentos estéticos para outras áreas. Muitas vezes, os profissionais não têm a devida habilitação, pois não são médicos.

Os tratamentos realizados nessas circunstâncias podem acarretar complicações graves. Para a Dra. Lúcia Ribeiro , o risco mais importante de todos, considerado uma urgência, é quando o produto ou o preenchedor é injetado dentro de um vaso daquela região. “Se você interrompe a circulação sanguínea, a consequência natural disso é a necrose ou morte do tecido que está depois daquele vaso. Muito parecido com o que acontece no infarto, e o coração morre naquele local. Essa complicação precisa ser tratada de forma muito urgente, e os protocolos prevêem internamento para esse tipo de paciente”, discorre a Dra.

O que fazer antes de um procedimento estético?

  1. Antes de qualquer procedimento estético , consulte um médico especialista. Todo e qualquer tratamento invasivo deve ser realizado por um médico habilitado.
  2. Tire todas as dúvidas e saiba quais são as possíveis complicações do tratamento.
  3. Pesquise sobre a clínica e o profissional escolhidos. Verifique se há a devida certificação. Você pode pesquisar pelo CRM do médico no site.

Não comprometa sua saúde. Procure por profissionais habilitados que possam acompanhar o seu tratamento e dar a você toda a segurança necessária.

Home Blog Pele

Cuidados com a pele na primavera

Postado em: 10 de setembro

A primavera é o momento ideal para recuperar a pele das consequências no inverno, das quais o ressecamento é a mais comum. Os banhos muito quentes, assim como as baixas temperaturas, podem ocasionar o surgimento de manchas esbranquiçadas na pele (eczemátides ou pitiríase alba). Neste caso,...

continue lendo
Cuidados com a pele na primavera

A primavera é o momento ideal para recuperar a pele das consequências no inverno, das quais o ressecamento é a mais comum. Os banhos muito quentes, assim como as baixas temperaturas, podem ocasionar o surgimento de manchas esbranquiçadas na pele (eczemátides ou pitiríase alba).

Neste caso, é importante procurar um dermatologista para diferenciar essas manchas de possíveis alergias ou micoses, e assim, dar início ao devido tratamento.

Além disso, algumas medidas básicas são importantes neste momento de recuperação, como:

1. Limpar a pele

As temperaturas começam a aumentar na primavera, proporcionado elevação na produção de suor e oleosidade. Por isso, é necessário higienizar a pele pelo menos duas vezes ao dia. Embora pareça simples, a limpeza precisa de cuidado e atenção.

O ideal é que seja feita com água morna, por isso, evite lavar a face no banho quente ou frio. É necessário utilizar um sabonete apropriado para seu tipo de pele, que pode ser indicado pelo seu médico dermatologista. Parte da limpeza da pele pode ser auxiliada por tônicos, adstringentes e demaquilantes, porém todos esses produtos devem ser indicados por um profissional que conheça as necessidades de sua pele.

2. Hidratação

Parte importante da hidratação é feita de dentro para fora. Para recuperar sua pele do ressecamento ocasionado pelo inverno, comece bebendo água. Depois, é necessário utilizar o hidratante indicado para seu tipo pele. Lembre-se que todas as peles necessitam de hidratação, inclusive as oleosas e mistas.

Oleosidade e hidratação são propriedades diferentes. Em casos de peles oleosas que são demasiadamente lavadas para retirar o excesso de oleosidade, é comum que o paciente tenha um efeito rebote: sem óleos na face, as glândulas passam a produzir ainda mais.

3. Proteção solar

A terra é atingida pela radiação solar com a mesma intensidade em estações frias e quentes. Por isso, mesmo que ainda não seja verão, lembre-se de proteger sua pele dos raios solares. Lembre-se que janelas e nuvens são atravessadas pela radiação, ou seja: dias nublados e períodos dentro de casa também requerem proteção. Na dúvida sobre o melhor tipo de protetor solar para a sua pele, procure seu dermatologista.

Cuidados com a pele na primavera

Depois de recuperar a sua pele, é hora de tomar as medidas necessárias para ter um verão saudável e protegido. As altas temperaturas também podem prejudicar a saúde da sua pele. Antes de enfrentar o verão, consulte seu dermatologista sobre as medidas indicadas para seu tipo de pele. O uso de antioxidantes, por exemplo, pode prevenir o envelhecimento causado pela radiação ultravioleta.

Por isso, antes de aproveitar o sol, agende uma consulta e procure orientação junto ao seu médico de confiança. Lembre-se que nós podemos ajudar você aqui no IDC. É só mandar um WhatsApp para: (41) 99998-0552.

Home Blog Dermatologia

Cuidados com a pele do bebê

Postado em: 06 de setembro

Entenda por que a pele do bebê precisa de cuidados especiais A pele do bebê é mais sensível que a pele adulta, principalmente por causa dos mecanismos de defesa que ainda não estão totalmente desenvolvidos. Nos primeiros meses de vida, algumas reações são comuns, como dermatite seborreica,...

continue lendo
Cuidados com a pele do bebê

Entenda por que a pele do bebê precisa de cuidados especiais

A pele do bebê é mais sensível que a pele adulta, principalmente por causa dos mecanismos de defesa que ainda não estão totalmente desenvolvidos. Nos primeiros meses de vida, algumas reações são comuns, como dermatite seborreica, dermatite de fralda, acne neonatal e miliária.

Doenças comuns em recém-nascidos

Algumas ocorrências são mais comuns em bebês recém-nascidos, como a dermatite seborreica (conhecida como crosta láctea), dermatite de fraldas, miliária e hemangiomas. No caso da crosta láctea, é comum que a pele do bebê descame, principalmente na região do couro cabeludo, rosto (na área das pálpebras) e virilha. Já a dermatite de fraldas é uma inflamação recorrente por causa do contato da pele do bebê com urina ou fezes por muito tempo. Nestes casos, a dermatologista pediatra do IDC Amanda Hertz afirma que “utilizar cremes de barreiras específicos e trocar a fralda várias vezes ao dia, não deixando o bebê em contato com fezes e urina, evita a dermatite de fraldas.” A médica também afirma que óleos para bebê ajudam em casos de crosta láctea.

Bebês podem ter espinhas?

Pode soar estranho a associação de acnes e bebês, mas a acne neonatal é uma condição comum nos recém-nascidos. A acne neonatal é caracterizada por bolinhas vermelhas, possivelmente com pus, e geralmente aparecem no rosto do bebê.

Brotoejas: é possível evitar?

A miliária é conhecida como brotoeja e é causada por glândulas sudoríparas obstruídas. Dessa forma, a saída do suor do corpo do bebê fica obstruída, ocasionando a brotoeja. Bebês que ficam demasiadamente agasalhados, principalmente em ambientes quentes e úmidos, podem desenvolver essa reação dermatológica. Por isso, consulte sempre o pediatra de sua confiança sobre a quantidade de roupa que deve usar para vestir seu pequeno.

Cuidados com a pele do bebê

Ao perceber reações cutâneas no seu bebê, procure seu dermatologista de confiança

A pele do seu bebê precisa de muito cuidado e atenção. Conte com a equipe do Instituto Dermatológico de Curitiba para tirar suas dúvidas e manter a pele do seu pequeno saudável.

Home Blog Alimentação

Alimentação: como manter a qualidade de vida após os 50 anos

Postado em: 29 de agosto

A expectativa de vida tem aumentado cada vez mais. Tão importante quanto viver mais, é envelhecer bem. Após os 50 anos, alguns cuidados são essenciais para manter a saúde do corpo e da mente em dia. A alimentação é um dos pilares fundamentais para ter mais qualidade de vida e equilíbrio – comer ...

continue lendo

A expectativa de vida tem aumentado cada vez mais. Tão importante quanto viver mais, é envelhecer bem. Após os 50 anos, alguns cuidados são essenciais para manter a saúde do corpo e da mente em dia. A alimentação é um dos pilares fundamentais para ter mais qualidade de vida e equilíbrio – comer bem significa aumentar a resistência às doenças, ter mais energia e se recuperar mais rapidamente de enfermidades. Um prato colorido é um indício de boas escolhas. Consumir uma grande variedade de frutas, legumes e verduras e optar por proteínas magras e grãos integrais vai fazer a diferença na disposição e na saúde. Confira as principais dicas para uma alimentação balanceada e saudável:

- Dê preferência aos alimentos frescos e aproveite tudo. Folhas e talos também são ricos em vitaminas e nutrientes.

- Consuma mais fibras. Uma das formas mais simples e fáceis é comer frutas e verduras cruas.

- Vegetais cozidos, crus, assados: solte a imaginação e prepare pratos cheios de sabor e saúde. Use e abuse dos verdes escuros e alaranjados, que são antioxidantes.

- O organismo precisa de cálcio, especialmente nessa idade, para proteger os ossos e prevenir a osteoporose. Leite e derivados, brócolis, amêndoas, couve e tofu são algumas fontes de cálcio.

- Grãos integrais são melhores para a saúde do que as farinhas refinadas. Além de aumentar a saciedade, evitam os picos de glicose no sangue.

- Não esqueça das proteínas. Carnes, peixes, ovos, feijão, ervilha e sementes devem estar presentes no cardápio.

- Tá com sede? Tome água. Este é o melhor líquido para hidratar o corpo, não tem nenhuma contraindicação e é essencial para o funcionamento correto dos órgãos.

- Reduza a quantidade de sal. O excesso de sódio é responsável pela retenção de água e hipertensão.

- Utilize gorduras boas como azeite de oliva, abacate, salmão e nozes. Além de proteger o organismo de doenças cardíacas, elas aumentam o colesterol bom (HDL) e diminuem o ruim (LDL).

Home Blog Tratamento

Laser é eficaz no tratamento de manchas

Postado em: 23 de agosto

Exposição aos raios solares e a luz artificial, alterações hormonais e contato com determinadas substâncias podem causar manchas na pele. De acordo com a dermatologista Lúcia Ribeiro, existem vários tipos de manchas e cada uma exige um tipo de tratamento diferente. “É necessário fazer uma avaliaçã...

continue lendo

Exposição aos raios solares e a luz artificial, alterações hormonais e contato com determinadas substâncias podem causar manchas na pele. De acordo com a dermatologista Lúcia Ribeiro, existem vários tipos de manchas e cada uma exige um tipo de tratamento diferente. “É necessário fazer uma avaliação criteriosa da pele, entender os hábitos de vida do paciente e analisar qual a melhor conduta de acordo com estas características individuais”, explica.

O melasma, por exemplo, é um tipo de mancha que normalmente surge devido à exposição ao sol, gravidez ou uso de medicamentos. Aparece principalmente na testa, maçãs do rosto e buço. Também pode surgir nos braços e no colo. Já a melanose é uma mancha escura, arredondada e que surge com o envelhecimento. A acne é outro fator que provoca manchas – no início são avermelhadas e podem mudar para tons marrons.

A gravidade da mancha, o tamanho e a localização são alguns fatores que também influenciam na escolha do procedimento mais adequado para tratar o problema. Clareadores, laser, peeling e luz pulsada são algumas opções para minimizar e até eliminar os sinais dos distúrbios de pigmentação.

Um dos métodos indicados no IDC para o tratamento de manchas é o laser Harmony XL, uma plataforma multifuncional com 19 opções de ponteiras. O aparelho pode ser utilizado em quase todos os tipos de lesões de pele, incluindo as manchas. “A consulta médica irá determinar a conduta mais adequada e quais procedimentos podem ser utilizados em conjunto para melhores resultados”, observa a dermatologista.

Quer saber mais? Marque sua consulta no IDC pelo telefone (41) 3342-8484.

Veja outras matérias