Home Blog Pele

Argila: Conheça os benefícios e indicações de cada cor

Postado em: 05 de outubro

A Argila não é simplesmente um tipo de barro (como é vulgarmente conhecida), trata-se de um mineral com multifunções. A sua formação se dá a partir de processos físicos e químicos oriundos da decomposição e degeneração de alguns tipos de rochas sedimentares. Em sua composição, existem silicatos de a...

continue lendo

A Argila não é simplesmente um tipo de barro (como é vulgarmente conhecida), trata-se de um mineral com multifunções. A sua formação se dá a partir de processos físicos e químicos oriundos da decomposição e degeneração de alguns tipos de rochas sedimentares. Em sua composição, existem silicatos de alumínio e diversos óxidos que conferem diferentes tonalidades e propriedades terapêuticas à argila.

As cores da argila estão relacionadas a sua característica mineral, bem como sua capacidade terapêutica, é por isso cada tonalidade é recomendada para tratar um tipo de problema específico da pele. Confira os benefícios e indicações de cada cor:

Branca

Se você sofre com desidratação e sensibilidade da pele, a argila branca é a melhor opção para recondicionar a cútis. Ela tem um pH muito semelhante ao da pele, entre os seus benefícios estão a capacidade de clarear a região tratada, promovendo uma ação cicatrizante em todos os tipos de peles.

Argila Branca aplicada no rosto - Beneficios

Verde

É a mais popular entre as argilas, graças a sua multifuncionalidade. Rica em cobre, a argila verde tem pH neutro e excelente propriedade anti-inflamatória, propiciando a desintoxicação e regulação da produção de sebo, por meio de ação adstringente, que tonifica e combate a oleosidade excessiva.

Por ser secativa, sua aplicação é altamente recomendada para quem sofre de acne, já que esta argila atua de maneira analgésica e cicatrizante nas lesões. Pessoas com pele muito seca deve evitar a aplicação de argila desta cor.

Preta

A mais nobre de todas, a argila preta também é popularmente conhecida como lama vulcânica. Entre seus benefícios estão a ação anti-inflamatória e antiestresse, sua atuação também se estende à capacidade de rejuvenescimento para todos os tipos de pele.

Vermelha

A argila vermelha é rica em óxido de ferro, cobre e silício. Ela potencializa a prevenção do envelhecimento da pele, promovendo uma hidratação profunda no tecido cutâneo. Essa tonalidade de argila tem como benefício o estímulo da circulação sanguínea no local tratado, o que é indicado para pessoas com fototipos sensíveis. A argila vermelha não apresenta contraindicações para os demais tipos de pele.

Marrom

Ela também pode ser indicada para o tratamento da acne, já que possui propriedades adstringente e desintoxicante. Seu efeito rejuvenescedor é notável, contudo, por tratar-se de um tipo raro de argila, menos conhecida, não é tão utilizada, mas é tão eficaz quanto a demais para o tratamento da cútis.

Rosa

Esta cor de argila vem da mistura da argila branca com a vermelha, sendo assim, ela combina os benefícios de ambas para proporcionar uma ação mais suave sobre a pele tratada. Recomendada para antissepsia, cicatrização e suavização do tecido cutâneo, a argila rosa não apresenta contraindicações de aplicação.

Home Blog Alimentação

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE UM NUTRÓLOGO E UM NUTRICIONISTA?

Postado em: 29 de setembro

A medicina existe para ajudar as pessoas no que tange a manutenção da saúde e bem-estar físico. Os seres humanos são organismos complexos: com diversas funções e necessidades biológicas. Imagine então esse organismo como uma máquina cujos componentes devem funcionar em sinergia para que a máquina te...

continue lendo

A medicina existe para ajudar as pessoas no que tange a manutenção da saúde e bem-estar físico. Os seres humanos são organismos complexos: com diversas funções e necessidades biológicas. Imagine então esse organismo como uma máquina cujos componentes devem funcionar em sinergia para que a máquina tenha o seu funcionamento normal. Quando algum dos componentes é prejudicado, todo sistema sente um descompasso e começa a trabalhar sob condição adversa, causando danos e prejudicando a vida útil da máquina.

É exatamente isso que acontece quando indivíduo tem alguma patologia, trauma ou sofrimento físico ou mental. Todo o corpo começa a perecer até que o problema seja tratado ou erradicado. A alimentação é o aspecto mais importante para o funcionamento do nosso corpo, é o que nos mantem vivos, portanto, quanto existem problemas desta natureza é preciso procurar imediatamente um especialista para avaliar a situação e orientar sobre o que deve ser feito para superar o problema.

Nutrólogo X Nutricionista

O nutrólogo é antes de mais nada um médico por formação, enquanto o nutricionista não é formado em medicina. Além da sua formação clínica, o nutrólogo é um especialista em nutrologia, tendo assim a capacidade de diagnosticar algumas patologias que estão relacionadas aos distúrbios nutricionais, déficit de nutrientes ou algum problema que leve a pessoa a ter um acúmulo de gordura, perda de proteína ou comprometimento de alguma função orgânica.

O nutrólogo tem ainda a autonomia para prescrever medicamentos, desenvolver uma dieta específica ou acompanhar o paciente durante um ganho nutricional ou suporte metabólico.

Quem pode se consultar com um nutrólogo?

Qualquer pessoa pode se consultar com um nutrólogo, todo indivíduo que tenha interesse na melhora da sua saúde ou qualidade de vida. O acompanhamento deste profissional também é interessante para pessoas que precisam controlar patologias existentes, como: hipertensão, diabetes ou colesterol.

Existe ainda a indicação do nutrólogo para pessoas que procuram de um melhor desempenho físico, bem como atletas de corrida, musculação ou esportes que envolvam ganhos ou perdas de peso, além daqueles que necessitam de manutenção do percentual de gordura.

Agende sua consulta aqui.

Home Blog Dermatologia

Fios de sustentação: como é o procedimento?

Postado em: 20 de setembro

A aplicação de fios de sustentação não é um procedimento novo, a tecnologia já acompanha a medicina dermatológica há algum tempo, os fios atuais são mais modernos e totalmente biodegradáveis. Conhecidos como polímeros, essas estruturas são hastes que acompanham elementos como cones, ganchos ou espíc...

continue lendo

A aplicação de fios de sustentação não é um procedimento novo, a tecnologia já acompanha a medicina dermatológica há algum tempo, os fios atuais são mais modernos e totalmente biodegradáveis. Conhecidos como polímeros, essas estruturas são hastes que acompanham elementos como cones, ganchos ou espículas que atuam na ancoragem dos fios no subcutâneo ou musculatura superficial da face, para que estes possam ser tracionados e direcionar a pele na posição superior e posterior, afim de deixá-los no local adequado.

Os fios de sustentação podem ser feitos de vários materiais, como o ácido láctico ou ter a mesma composição dos fios de sutura absorvíveis. Os fios apresentam tamanhos e objetivos diferentes. Alguns deles têm um potencial maior de tração e sustentação, enquanto outros podem dispor de menor potencial de tração, mas propiciam o estímulo biológico da região tratada, a partir da produção de colágeno posterior a sua absorção pelo organismo.

A indicação do procedimento precisa ser feita em consultório, sob avalição médica. O médico especialista vai avaliar quais tipos de fios de sustentação são melhores indicados para cada paciente.

O procedimento de implantação dos fios de sustentação é feito no próprio consultório médico, e a sua intensidade dolorosa é considerada moderada, podendo ser feito mediante sedação ou anestesia tópica e local. Para evitar a contaminação no local, é precisar adotar técnicas de assepsia e esterilização antes de iniciar o procedimento.

Assim como qualquer procedimento dermatológico, os fios de sustentação faciais têm contraindicações relativas e absolutas. Pacientes com infecções, processos inflamatórios ou sob tratamentos radioterápicos, medicações contra neoplasias ou gestantes devem evitar a aplicação dos fios. Quanto as contraindicações relativas, elas contemplam os casos de flacidez avançada, já que as hastes podem não trazer um resultado desejado ao paciente.

O resultado do procedimento de fios de sustentação não tem como objetivo a substituição de uma cirurgia plástica. É possível prolongar os resultados de uma cirurgia com a aplicação das hastes. Os fios de sustentação não impedem a realização de qualquer outro procedimento cirúrgico em que foram aplicados.

Home Blog Cuidados

Os benefícios do óleo de aloe vera

Postado em: 22 de maio

A aloe vera, também conhecida como babosa, tem seus benefícios sendo utilizados desde a antiguidade, e possui uma variedade de propriedades medicinais.Para usufruir dessas propriedades, é necessário extrair o gel que possui nas folhas da babosa. É através dessa extração que as marcas de cosméticos a...

continue lendo

A aloe vera, também conhecida como babosa, tem seus benefícios sendo utilizados desde a antiguidade, e possui uma variedade de propriedades medicinais.

Os beneficíos da babosa

Para usufruir dessas propriedades, é necessário extrair o gel que possui nas folhas da babosa. É através dessa extração que as marcas de cosméticos aproveitam seus benefícios e desenvolvem produtos que fazem tão bem para nossa pele, cabelo e até mesmo saúde.

Quais os benefícios da babosa?

Ajuda na cicatrização e combate acnes

Pelo seu alto teor de antioxidantes, a babosa auxilia no tratamento de pequenos cortes e ferimentos, reduzindo a inflamação e amenizando as acnes.

O óleo de aloe vera pode ser usado para tratamentos de pele também, como psoríase, eczema e erupções cutâneas.

Detox para o corpo e melhora o fluxo sanguíneo

Por ser um excelente antioxidante, a babosa aumenta a circulação e fortalece o sistema imunológico, além de proporcionar um aspecto macio na pele.

Cuidados com o cabelo

Por aumentar o fluxo sanguíneo, o uso de óleo de aloe vera estimula as células capilares, evitando a queda e fortalecendo os fios.

Nesse caso é indicado que seja aplicado o óleo no couro cabeludo durante o banho, além dos benefícios capilares, esse processo trará maior sensação de relaxamento e bem-estar.

Aproveite todos os benefícios do aloe vera e lembre-se de conversar com sua dermatologista dos produtos que deseja utilizar, garantindo assim que sua pele absorva ao máximo as propriedades dessa planta.

Home Blog Pele

Pele ressecada no inverno: como tratar?

Postado em: 22 de maio

O inverno está chegando e a principal preocupação com a pele é: como hidratá-la o suficiente para que ela não sofra com as baixas temperaturas e maus hábitos comuns nessa estação?É necessário corrigir algumas manias que adquirimos nos dias mais frios, evitando que a pele sofra e, consequentemente, m...

continue lendo

O inverno está chegando e a principal preocupação com a pele é: como hidratá-la o suficiente para que ela não sofra com as baixas temperaturas e maus hábitos comuns nessa estação?

É necessário corrigir algumas manias que adquirimos nos dias mais frios, evitando que a pele sofra e, consequentemente, mantenha-se saudável e macia.

Pele ressecada cuidados

Quais hábitos incluir na rotina para tratar a pele do ressecamento no inverno?

  • Beba água: esse é o primeiro hábito que devemos lembrar todos os dias em qualquer estação. Não beba apenas quando sentir sede, pois a sede indica que seu corpo já está sofrendo com a desidratação. Tenha sempre por perto uma garrafa d’água para beber ao longo do dia.
  • Coma mais frutas: se beber água for algo complicado para você, que tal hidratar seu corpo consumindo frutas? Além de ajudar na hidratação, as frutas são ricas em antioxidantes, como betacaroteno, licopeno, luteína e vitaminas C e E.
  • Cuide da pele: Não precisamos lembrar o quão prejudicial é para a pele aqueles longos banhos com água fervendo, não é mesmo? Apesar do prazer em tomar um bom banho quente no inverno, evite realizá-lo com frequência, pois a água quente resseca muito a pele. E claro, hidrate sempre a pele após os banhos.
  • Procedimento no inverno: Aproveite os dias mais frios e menos ensolarados para realizar os procedimentos estéticos que são mais indicados nessa estação e, claro, irão deixar sua pele ainda mais macia e bem cuidada. Tratamentos com laser, peeling de diamente, peeling químico e preenchimento são recomendados para o inverno pois, após as sessões, a pele deve evitar exposição solar.

Em caso de irritação da pele em qualquer época do ano, consulte um dermatologista.