Home Blog Pele

Causas e tratamentos de manchas na pele

Postado em: 04 de abril

Existem diversos tipos de manchas que podem aparecer no corpo. Normalmente surgem em maior volume no rosto, mas podem acometer também em outros locais como ombros e pescoço, por isso é importante conhecer as diferenças, como evitar o surgimento e ainda as opções de tratamento.As manchas na pele são ...

continue lendo

Existem diversos tipos de manchas que podem aparecer no corpo. Normalmente surgem em maior volume no rosto, mas podem acometer também em outros locais como ombros e pescoço, por isso é importante conhecer as diferenças, como evitar o surgimento e ainda as opções de tratamento.

As manchas na pele são distúrbios de pigmentação causados pelo excesso de exposição ao sol, alterações hormonais, pré-disposição genética ou contato com substâncias de risco. A medicina explica que a célula responsável pela pigmentação da pele, o melanócito, reage a diversos estímulos e agressões produzindo melanina, ocasionando alterações na pele como melanoses, sardas, manchas pós-acne e ceratose seborreica. Por isso é preciso entender qual o tratamento mais indicado para cada caso.

Mais comuns, as melanoses ou manchas senis, costumam ser escuras, mais arredondadas e surgem com o passar dos anos no corpo devido a exposição excessiva ao sol. As opções para tratamentos podem variar de caso para caso, desde a utilização de luz intensa pulsada até tratamentos a laser de CO²e peelings.

As sardas ou também chamadas de efélides manifestam-se na face de crianças ou jovens, geralmente de pele muito clara, após a exposição solar. Nestes casos o mais indicado para tratamento é a luz intensa pulsada, mas peelingssuperficiais também podem ser uma alternativa.

Os melasmas costumam aparecer com maior frequência no rosto após a gravidez, no uso de pílula ou exposição ao sol, mas também podem aparecer em outros locais mais raros, como colo e braços. Essas manchas são mais resistentes e os resultados podem variar, nestes casos os tratamentos sugeridos são: peeling superficial, procedimentos a laser e microagulhamento.

Devido a grande quantidade de tipos de manchas, é muito importante procurar um dermatologista para identificar e indicar o melhor tratamento para cada caso. No Instituto Dermatológico de Curitiba você encontra especialistas certificados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia para o tratamento de manchas. Entre em contatoe agende uma avaliação.

Home Blog Pele

Estimulando a produção natural de colágeno com dermaroller facial

Postado em: 27 de março

Com o início do Outono onde as temperaturas são mais amenas e há pouca incidência solar, a procura por tratamentos para a pele como Dermaroller (também chamado de microagulhamento) aumentam. Como o próprio nome sugere, trata-se de um aparelho formado por um cilindro onde existem dezenas de micro agu...

continue lendo

Com o início do Outono onde as temperaturas são mais amenas e há pouca incidência solar, a procura por tratamentos para a pele como Dermaroller (também chamado de microagulhamento) aumentam. Como o próprio nome sugere, trata-se de um aparelho formado por um cilindro onde existem dezenas de micro agulhas extremamente finas.

A técnica com Dermaroller facial estimula a produção de colágeno através da indução percutânea em um processo cicatrizante. São microagulhas, mais finas que um fio de cabelo, que formam um sistema de múltiplos micro canais fracionados – ou seja, inúmeros furinhos na pele que nem podem ser percebidos a olho nu e que permitem a máxima absorção de ativos cosméticos, obrigando a pele a produzir muito colágeno.

A estimulação do colágeno é tanta que o tratamento com Dermaroller pode aumentar cerca de 400 vezes a quantidade de colágeno existente na pele do paciente. Por isso, a técnica é muito aplicada em pacientes que querem rejuvenescimento, combater manchas, rugas, estrias, cicatrizes ou até mesmo acnes e queimaduras. Além disso, o procedimento também pode ser utilizado no tratamento de calvícies e quedas de cabelos, pois ajuda a ativar a circulação do couro cabeludo, reduzindo o risco de queda.

O Dermaroller é um procedimento tranquilo de ser realizado, mas embora seja um procedimento seguros cuidados pós-tratamento são imprescindíveis. Faça uso intensivo de protetor solar de boa qualidade, preferencialmente de fator 30 ou maior, pois o tratamento remove a camada superficial da pele, deixando a região do rosto muito sensível, vermelha e dolorida, por esse motivo a pele deve ficar protegida do sol para poder se recuperar.

Mas muito cuidado! Muitas pessoas tentam realizar esse procedimento com Dermaroller em casa, sem conhecimento apropriado para aplicação da maneira correta. O Instituto Dermatológico de Curitiba apoia as recomendações da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da ANVISA, uma vez que o material é descartável e não deve ser reutilizado (nem no mesmo paciente), além disso a pele deve receber um processo de assepsia profunda, onde é aplicado sabonete bactericida, clorexidina e álcool 70%.

O Instituto Dermatológico de Curitiba se preocupa com o seu bem-estar diário e, por isso, conta com profissionais habilitados para o tratamento com Dermaroller. Entre em contato e agende uma avaliação.

Home Blog Alimentação

Os benefícios dos chocolates a base de alfarroba na páscoa

Postado em: 20 de março

Quando se inicia uma dieta a vontade de comer coisas doces pode ser um grande desafio! Para que esse período não seja um martírio, a dica é substituir o chocolate por opções mais saudáveis, como a alfarroba.Com gostinho, cor e textura semelhantes ao do chocolate, porém sem a gordura, uma das princip...

continue lendo

Quando se inicia uma dieta a vontade de comer coisas doces pode ser um grande desafio! Para que esse período não seja um martírio, a dica é substituir o chocolate por opções mais saudáveis, como a alfarroba.

Com gostinho, cor e textura semelhantes ao do chocolate, porém sem a gordura, uma das principais vilãs dessa delícia. A farinha a base de alfarroba também costuma ter menos açucares e, por isso, virou uma alternativa menos calórica aos doces à base de cacau.

O que mais tem despertado a atenção dos nutricionistas e nutrólogos é o baixo índice glicêmico desse falso chocolate e, por isso, é considerado um aliado contra o diabetes. A alfarroba tem apenas 7% de gordura, enquanto o cacau 23% (considerando 20 gramas da versão em pó), além de outras diferenças nutricionais como uma menor quantidade de calorias e de sódio.

Para pessoas que são sensíveis a cafeína ou até mesmo chocolate escuro, considerem substituir o cacau por alfarroba em pó para fazer sobremesas à base de chocolate nesta Páscoa. Enquanto o cacau é carregado com alcalóides como metilxantinas e teobromina, que podem estimular demais o sistema nervoso central, a alfarroba não contém cafeína.

Outro benefício interessante é a melhora na digestão. Uma colher de sopa de alfarroba contém 10 por cento da ingestão diária recomendada de fibras. A fibra atua como uma vassoura interna, empurrando comida digerida através do intestino grosso, mantendo-o limpo e saudável, aliviando movimentos intestinais e lavando substâncias cancerígenas nocivas do corpo.

O Instituto Dermatológico de Curitiba recomenda a alfarroba como uma opção mais saudável para substituir os chocolates a base de cacau nesta Páscoa. E no caso de desequilíbrios no sistema digestivo ou problemas relacionados a alimentação entre em contato com o IDC e agende sua avaliação com nosso nutricionistas Dr. Paulo Guimarães.

Home Blog Tratamento

Toxina botulínica ou preenchimento facial?

Postado em: 13 de março

Por mais que a gente se cuide, o efeito do tempo sobre a nossa pele é visível, no entanto, hoje em dia existem muitos tratamentos para promover o rejuvenescimento facial, por isso é importante saber a diferença entre eles.Por serem injetáveis, a confusão mais frequente é achar que o mecanismo de açã...

continue lendo

Por mais que a gente se cuide, o efeito do tempo sobre a nossa pele é visível, no entanto, hoje em dia existem muitos tratamentos para promover o rejuvenescimento facial, por isso é importante saber a diferença entre eles.

Por serem injetáveis, a confusão mais frequente é achar que o mecanismo de ação da toxina botulínica e do preenchimento são os mesmos, mas não são. A primeira age paralisando o músculo, que ao evitar essa movimentação, impede a contração muscular que é o que forma a ruga e esse relaxamento da musculatura suaviza os vincos. Já a aplicação do preenchimento cutâneo repõe o volume perdido de determinadas áreas da face e melhora visivelmente o contorno do rosto, atuando, por consequência, na redução da flacidez.

A toxina botulínica é produzida por uma bactéria chamada clostridium botulinum, a função dela é paralisar a musculatura, servindo para amenizar as rugas estáticas da parte superior da face, que costumam se formar quando nos expressamos. A toxina é indicada para correção de rugas na testa, na região glabelar (entre as sobrancelhas), no musculo nasal e no canto do olho, que também é conhecido por “pé de galinha”. O procedimento é feito com a aplicação de insulina no músculo da região tratada, o que pode ser um pouco doloroso, no entanto é um tratamento muito rápido e a função dele costuma ter entre 5 e 6 meses de duração.

O preenchimento cutâneo consiste na injeção de substâncias como o ácido hialurônico (AH) dentro da pele ou logo abaixo dela, diminuindo a sua profundidade e dando mais volume. As técnicas de preenchimento cutâneo são utilizadas principalmente na correção dos sulcos naso-labiais (bigode chinês), rugas, pequenas deformidades nasais, cicatrizes deprimidas e de acne, aumento labial e a reposição de volume facial. Existem vários tipos de preenchedores e na hora de escolher o implante ideal para o seu caso, considera-se: o tipo de pele, o local a ser tratado e o grau de profundidade.

Busque informações e tire suas dúvidas com um médico. Entre em contato e faça uma avaliação com os médicos do Instituto Dermatológico de Curitiba, para saber qual o melhor tratamento no seu caso.

Home Blog Tratamento

Queda de cabelo: causas e tratamentos

Postado em: 05 de março

A queda de cabelo é um problema comum que atinge homens e mulheres em grande proporção. As causas podem ser desde questões mais complexas como a genética até hábitos e fatores emocionais, como o estresse. Existe a queda de cabelo fisiológica que é um processo natural para a renovação capilar. Um ind...

continue lendo

A queda de cabelo é um problema comum que atinge homens e mulheres em grande proporção. As causas podem ser desde questões mais complexas como a genética até hábitos e fatores emocionais, como o estresse.

Existe a queda de cabelo fisiológica que é um processo natural para a renovação capilar. Um indivíduo saudável chega a perder cerca de 100 fios de cabelo diariamente, devido ao ciclo de vida dos fios que caem para dar espaço a outro. No entanto, muitas pessoas apresentam uma perda de cabelos mais acentuada, o que pode ser um sinal de algum problema de saúde desencadeado pela falta de vitaminas, problemas hormonais, imunidade baixa, etc.

Outros fatores que podem agravar a queda de cabelo, são: o estresse, que faz com que o organismo passe a produzir hormônios como o cortisol, que tem influência sobre o ciclo capilar, reduzindo a taxa de proliferação celular dos folículos capilares e fazendo com que o cabelo cresça menos ou até mesmo pare de crescer. Outro fator primordial é a alimentação, pois os fios precisam de nutrientes como o ferro, zinco e proteínas, por isso uma alimentação saudável e com grande variedade de nutrientes podem melhorar a qualidade do fio de cabelo e evitar um possível tratamento capilar.

Os tratamentos para a queda capilar podem ser feitos através de medicação oral ou tópica, aplicação de microinfusão de medicações na pele, mesoterapia e microagulhamento. O Instituto Dermatológico de Curitiba (IDC) oferece um tratamento especializado na cura e prevenção da doença que é feito com três aplicações de um coquetel de medicamentos no couro cabeludo. O intervalo mínimo entre as aplicações é de 30 dias e cada sessão de microagulhamento dura em torno de 20 minutos, mais 20 minutos de aplicação com luz vermelha que potencializa o tratamento.

Por outro lado, é importante ressaltar que tratamentos capilares caseiros não são indicados, porque mesmo com a utilização de produtos fitoterápicos, pode desencadear alergias ou irritação no couro cabelo, agravando ainda mais o problema de queda de cabelo. Antes de identificar qual é o melhor tratamento, é necessário que um profissional identifique qual é a causa através da realização de exames de sangue e clínico para diagnosticar o motivo do problema.

Se você tem notado alguma alteração na quantidade de queda de cabelo, entre em contato com o IDC e agende uma consulta de avaliação com um de nossos médicos para realizar o tratamento capilar mais efetivo para o seu problema.