Home Blog Tratamento

Sarda branca: o que é, como prevenir e como tratar

Postado em: 03 de August

Sarda branca: o que é, como prevenir e como tratar Manchas brancas podem afetar a pele nas áreas expostas ao sol. Tratamento ajuda a renovar a pigmentação do local. A exposição solar em excesso é um dos principais fatores que contribuem para o surgimento de problemas de pele, como a leucoder...

continue lendo

Sarda branca: o que é, como prevenir e como tratar

Manchas brancas podem afetar a pele nas áreas expostas ao sol. Tratamento ajuda a renovar a pigmentação do local. Sarda Branca

A exposição solar em excesso é um dos principais fatores que contribuem para o surgimento de problemas de pele, como a leucodermia gutata, também chamada de leucodermia solar e mais conhecida como sarda branca. Caracterizada por manchas esbranquiçadas, arredondadas e com diâmetro de 2 a 5 mm, a condição surge especialmente nos braços e pernas. De acordo com a médica dermatologista Gisele Moro, do Instituto Dermatológico de Curitiba (IDC), o dano solar é cumulativo e as manchas podem aparecer mesmo muitos anos após a exposição ao sol.

Prevenção

Segundo a especialista, para prevenir o aparecimento da sarda branca, é necessário usar filtro solar regularmente e ficar atento à correta reaplicação e aos horários de exposição ao sol, evitando os momentos de maior incidência dos raios.

Tratamento

A Dra. Gabriele ressalta que antes não existia um tratamento satisfatório para este tipo de mancha, mas hoje já encontramos uma opção que promove bons resultados. “A criocirurgia com nitrogênio líquido e a dermoabrasão eram algumas das opções terapêuticas utilizadas. Entretanto, a eficácia era baixa. Recentemente, surgiu uma técnica inovadora que vem apresentando resultados satisfatórios chamada Microinfusão de Medicamentos na Pele (MMP®). Ela foi desenvolvida e registrada pelo médico dermatologista brasileiro Samir Arbache, consistindo na introdução de medicamentos na pele por meio de uma máquina que possui sistema vibratório e agulhas na ponta”, explica.

Os microfuros permitem que a medicação penetre na profundidade necessária para atingir a área desejada. “O medicamento é infundido em cada mancha, de maneira individual, reduzindo a fibrose da lesão e permitindo o retorno da melanina, resultando na pigmentação da pele. Geralmente são necessárias de uma a duas sessões, dependendo do caso, com intervalo de 30 dias”, esclarece.

Após a aplicação, os pontos ficam bem avermelhados e, com o passar dos dias, forma-se uma espécie de crosta no local do procedimento, que desaparece entre 10 e 15 dias. Os cuidados recomendados depois da realização do tratamento são uso diário de hidratante e filtro solar durante o período de cicatrização, além de evitar a exposição solar. Não é necessário repouso nem afastamento, e o paciente pode retomar suas atividades no mesmo dia.

Sarda branca x vitiligo

É comum confundir as manchas brancas causadas pelo sol com vitiligo, uma doença que se caracteriza pela perda de coloração da pele. Porém, as lesões do vitiligo estão relacionadas à ausência das células responsáveis pela formação da melanina – não à produção insuficiente da substância – e possuem localização e distribuição características, diferentes das sardas.

Tem alguma dúvida sobre o assunto? Entre em contato com a gente pelo WhatsApp do Instituto Dermatológico de Curitiba (IDC). Será um prazer atender você.

;