Home Blog Tratamento

Hiperpigmentação pós-inflamatória: causas e tratamentos

Postado em: 13 de julho

A hiperpigmentação pós-inflamatória é um problema mais comum do que imaginamos e normalmente surge em consequência de diversos processos que afetam a pele, como doenças, feridas ou procedimentos terapêuticos. A doença se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras ou acastanhadas onde originalmen...

continue lendo

A hiperpigmentação pós-inflamatória é um problema mais comum do que imaginamos e normalmente surge em consequência de diversos processos que afetam a pele, como doenças, feridas ou procedimentos terapêuticos.

A doença se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras ou acastanhadas onde originalmente ocorreu alguma inflamação da pele. A coloração varia de marrom claro a negro.

Hiperpigmentação causada por inflamação

Há dois conceitos principais usados por dermatologistas: A remoção da mancha cutânea causada pela hiperpigmentação pós-inflamatória e controle dos sinais.

A remoção – Através de luz intensa pulsada, peeling químico ou com o equipamento Spectra XT – destrói as células cutâneas hiperpigmentadas para gerar nova pele, sem hiperpigmentação.

Laser facial Spectra XT

O controle – O tratamento é baseado na prescrição de medicamentos ou dermocosméticos para inibir a produção de melanina, igualar o tom de pele, clareando as manchas escuras para chegar à pigmentação normal cutânea.

Entretanto, vale ressalvar que alguns procedimentos podem ter efeitos colaterais ou até mesmo piorar o problema, por isso é imprescindível consultar o seu dermatologista antes de realizar os procedimentos.

Ficou interessado neste procedimento e quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato com o Instituto Dermatológico de Curitiba e agende uma avaliação médica.

;