Home Blog Pele

O que é milium e como acabar com este problema?

Postado em: 20 de outubro

O nosso rosto tem um papel fundamental para a nossa apresentação pessoal, sendo assim, qualquer alteração em seu aspecto natural, promovido por algum hematoma, mancha, cicatriz, linhas de expressão, cravos ou espinhas geralmente incomoda não só o indivíduo, mas também as outras pessoas, que passam a...

continue lendo

O nosso rosto tem um papel fundamental para a nossa apresentação pessoal, sendo assim, qualquer alteração em seu aspecto natural, promovido por algum hematoma, mancha, cicatriz, linhas de expressão, cravos ou espinhas geralmente incomoda não só o indivíduo, mas também as outras pessoas, que passam a olhar para esse rosto com desaprovação.

O que é a milium?

Milium é uma pequena lesão da pele, um tipo de cisto sebáceo que não causa dor ou qualquer risco à saúde (com exceção do aparecimento muito próximo ao globo ocular), elas se apresentam como bolinhas de coloração esbranquiçada, cujo tamanho e volume podem variar de pessoa para pessoa. Normalmente, elas se concentram na região da face, mas também podem aparecer ao redor das partes íntimas.

A milium se forma devido ao acumulo de queratina e células mortas nos poros, que vão sendo revestidos por uma camada de pele, que encapsula os resíduos e os deixam com o aspecto de pequenas esferas. Sobretudo, o principal empecilho com o aparecimento do milium, é o comprometimento estético da região.

O que é milium e como acabar com este problema?

Como ela aparece

O aparecimento da milium tende a se comportar de duas maneiras: Uma delas não tem causa aparente, e por isso a lesão é chamada de primária. A realização de alguns procedimentos estéticos, que evolvem abrasão e cicatrização da pele também pode propiciar, em algumas pessoas, o surgimento das lesões. Quando isso acontece, a millium é então chamada de secundária. Homens, mulheres, jovens, idosos e até recém-nascidos podem ser acometidos pela milium.

Como tratar?

Não há motivos para preocupação, trata-se de uma lesão benigna que não expõem o indivíduo à riscos senão o incomodo estético. Com o tempo, as bolinhas podem crescer e ganhar volume a ponto de ficarem muito visíveis e prejudicar a autoestima do indivíduo, neste caso, o tratamento pode ser uma opção a se considerar.

A remoção da milium pode ser feita em limpeza de pele, por meio da transfixação de agulhas finas, que são devidamente esterilizadas e performadas por profissionais da estética. Não se recomenda que a retirada do milium seja feita pelo próprio paciente, visto que o procedimento sem a devida assepsia pode ocasionar inflamações ou proliferações de bactérias no local.

Quer saber mais sobre nosso tratamentos estéticos? Entre em contato.

;